Buscar
  • Tomas Jacociunas

UM DIA TODOS NÓS JÁ FOMOS INCRÍVEIS

Quem nunca pensou em fazer algo incrível quando criança? Quando somos jovens temos facilidade para pensar grande. Eu, por exemplo, quando criança, imaginava ser piloto de avião. Sonhava em voar e conquistar o mundo. Em outra fase, imaginei ser um grande jogador de tênis. Tenho certeza que você também já acreditou em algo assim.


Quando crianças, transformamos cabos de vassouras em espadas, pátios em estádios, brincadeiras em realidade. Construímos castelos de areia e pensamos que ser um super-herói não é algo fora de nosso alcance.



Mas ao longo da vida, por algum motivo, nós perdemos isso. Somos moldados a estudar química, biologia, literatura sob a ótica de que se não adquirirmos estes conhecimentos não passaremos de ano. Nos vendem a ideia de que para atingirmos o sucesso precisamos passar no vestibular... Escolher o que vamos fazer acaba se tornando menos importante porque o que realmente importa é estar preparado para as provas.


Durante esta caminhada, conheci pessoas de habilidades incríveis em áreas onde o sucesso é considerado difícil. Alguns eram realmente bons nas suas atividades. E durante este período muitas vezes ouvimos coisas como:


“Você sabe que ser ISSO ou AQUILO é muito difícil né?”


“Sabe que isso não é para você né?”


“O tempo de brincar acabou, vai estudar”


“Faz engenharia, esse curso de administração não serve pra nada”


Estas frases, quando vindas de pessoas que nos admiramos, fazem com que nós desistamos de dos nossos sonhos de grandeza nestes dias. Muitas vezes, quem diz isso são as pessoas que mais nos amam e querem nosso bem. E é extremamente compreensível. Nenhum pai quer que outra pessoa diga a seu filho o que ele é um péssimo cantor, ou que como atleta ele vai morrer de fome.


O único problema nesse raciocínio é que quando um pai, chefe, professor, cônjuge ou amigo dizem o que você NÃO DEVE FAZER, estão prevendo um futuro com fatores que não podem controlar.


Eles não sabem como você será em 10, 20 ou 40 anos.


Imagina se o pai do menino que não entrou no time de basquete da escola por ser muito baixo tivesse dito para ele:



“A brincadeira acabou moleque, você sabe que não vai jogar na NBA, né?


“Legal que você tentou, agora vamos estudar...”


Provavelmente ele não teria se tornado o Michel Jordan.


Ou se Henry Ford tivesse desistido de empreender após ter fracassado em suas duas primeiras empresas.


Meus pais nunca me disseram que meus sonhos eram grandes demais... Mas durante um período eu mesmo fiz isso.


A maneira como nos desenvolvemos também não nos ajuda. Quando crianças éramos curiosos, adorávamos aventuras e não tínhamos medo de perguntar coisas como “Por quê?” ou “Por que não?”. Quando crianças, aprendemos rápido, absorvemos tudo. Temos coragem até de sentir dores como quando colocamos a mão em algum fio ou em um forno quente. Destas situações desenvolvemos a cautela. A cautela passa a nos proteger de situações de risco.


Quando crescemos, ao invés de perguntas, começamos a dizer coisas como “Isso é impossível”, “é muito difícil”, ou “Não seja burro, você vai se dar mal”. Embora a cautela seja importante em alguns momentos, infelizmente, ela também pode fazer com que percamos nosso senso de grandeza. Por cautela excessiva, passamos a acreditar que nossos sonhos não serão realidade. Que nossas visões de criança não eram lógicas ou eram simplesmente infantis.


A boa notícia é que é possível recuperar essas características infantis de nossa personalidade. Mas, para isso, é preciso mais do que simplesmente voltar a agir como criança.



Sabemos, quando adultos, coisas que não sabíamos quando crianças. E temos habilidades que crianças não conseguem desenvolver.


Encorajo você a pensar grande. Encorajo você a entender que a sua percepção de mundo alimenta sua realidade. Ainda é possível sonhar e perseguir seus sonhos.

Agora é a hora de começar. Se você tem 40 anos e ainda não encontrou algo pelo qual tenha paixão, ainda está com vinte. É hora de começar. Se você tem 52 anos e está embarcando em uma nova carreira porque seu emprego desapareceu, você voltou aos vinte. É hora de começar. Se você, assim como eu, tem 24, bom, você está literalmente na casa dos vinte. É hora de começar.


Independentemente de sua idade, estágio de vida, condição financeira ou de saúde, tudo se resume a uma simples verdade: VOCÊ SÓ PRECISA COMEÇAR.

Por isso hoje, inicio mais um dos meus sonhos. O de inspirar.


SEJA INCRÍVEL!

Mesmo tendo reprovado em muitas provas de português, ouvido diversas vezes que era um cara mais de exatas e consolidado a ideia de que nunca conseguiria escrever, HOJE, ESTOU COMEÇANDO. A vender minha visão, minhas ideias e meus sonhos.

Seja bem-vindo muito bem vindo a este canal onde pretendo compartilhar um pouco de meus pensamentos sobre a vida, sobre o mundo, e claro, sobre marketing. 😊

189 visualizações